Cadeira



É digno escrever versos,
Penso em como estou sentado
Olhando a vastidão da vida
Penso em como estou só.
Quero escrever versos alegres
Momentos extensos
Meu dia foi magico,
Minha vida está descrita em dias acordados.

Vamos percorrer momentos únicos,
Enquanto há esperanças para ser vividas
Aquele sorriso macio
De uma época distante
Está presente no meu sorriso distante.
Olha só poesias, você me deu a vida
Eu te dei, versos tristes.

Escrever


Estou pensando no que devo escrever, no meu amor? Na minha tristeza? No que eu penso sobre tudo isso? Bom realmente não sei, é difícil escrever, as vezes pelo menos, queria ter um futuro com isso, esses momentos de escritas são magníficos, vamos focar em algo, talvez na tristeza que ando passando por esses dias.
Por dentro estou triste, bem triste, perdi uma pessoa muito especial, ok, não perdi por perder, ela fez coisas que não imaginava, não dela pelo menos, um tanto frustrante, não consigo passar meus sentimentos aqui, isso é muito estranho, as vezes penso se realmente amo ela, ou talvez goste dela por ela ter sido a primeira mulher que aparentou sentir algo por mim, no fim não era nada, a realidade é bastante frustrante e triste, o foda é saber que ela está normal seguindo a vida, pegando as pessoas, e eu aqui, sofrendo igual um otário de fato, devia parar de ser assim, mas que culpa eu tenho de querer deixar ela feliz, de abraçar, de amar, de querer dar o mundo a ela, bom ela não me quer, tenho que aceitar isso, doendo ou não, tenho que aceitar a realidade.
Que frustrante são 02:04 da manhã e estou escrevendo para uma pessoa que jamais irá ler isso, soa um tanto engraçado, queria dizer que amo ela, mas ela já sabe, só não quer meu amor, bom eu sei que ela já falou que não sou grande coisas, quando descobri isso me doeu um tanto, que coisa, por que tenho sentimentos? Merda, queria ser um cara foda, não sou ninguém, bom pelo menos não ainda, esse tempo distante de tudo pelo menos me fortaleceu mentalmente, eu espero, de verdade!

Algo Especial



Escrever para alguém sempre foi complicado, penso constantemente em como posso conquistar você, não sei o que inventar de novo porem, sei que tenho que ser sempre inovador para tentar te conquistar! Posso tentar as mais belas poesias, mas bem sinto que ela não gosta de poesia. Queria que você soubesse o quanto eu sou amarrado em você, tu consegues ativar meus versos mais profundos, uma inspiração única, sinto-me estável quando fico perto de ti, quero que você seja minha, mesmo sabendo que o amor não pode prender.
Meu intrínseco está nos versos que escrevo para isso, escrever versos românticos e ir dormir sozinho, entrego meus versos a todos, menos a ela, volto a pensar em como devo chamar a atenção dela, uma mulher incrível, gostaria de ter a concessão de te dar um abraço forte.
Estou sentado, quase cego de amor, reflito em como posso fazer algo grande, não para o mundo, mas, sim para ela. Penso muito em como isso terminará, provavelmente comigo chorando em um canto sem escrúpulo para dizer um simples te amo.
Bom, não escrevo versos a um certo tempo, provavelmente estou tentando mudar de vida, olha o nível que cheguei, não sou glorioso tipo Alvares De Azevedo ainda! Devo continuar forte, provavelmente ninguém pensa em minha pessoa, nem ela!
“Não tem para que se desculpar, o seu problema é só como você”

Árvore

Uma planta bela
Perto de mim
O vento sopra um grande frio
Carros passeando
A cidade nunca para
Agitado por flores azuis,
O céu está escuro
Talvez chova hoje
As lágrimas de um poeta
Distante
Desta árvore

A Mil Por Hora

Versos rápidos,
Coração lento.
Sorriso macio,
Medo tristonho.
Velocidade rápida,
Lágrimas lentas.

O sol nasce belo,
Morre rápido.
Minha alma corre
Ao som leve,
De fortes
Relógios parados.

Uma Escrita Antiga

Minha vida não está bem,
Através de versos falarei de amor,
Sofro pelo amor.
Vamos ter empatia comigo,
Não sei descrever você.

Alienada por gatos brancos,
Com chanel estável,
Sorriso inexorável.
Uma mulher notívago
Com ascensão em seus sonhos

Hoje não vou escrever assim.
Felizmente não sei escrever melodramas
Por mérito empírico
Hoje sei que, anseio
Francamente um belo e decente final

Vou dar uma escória a este verso
Pretensioso fomento
O desfecho de belos olhos azuis
De um gato branco.

Dias Escuros

Um dia monótono,
Abraço quente
Coração desolado
Penso em ti, como penso na morte.
Teu olhar mais lindo
Não passa de meros coadjuvantes
Perante essa magnífica vontade
Que tenho de te amar

O grande amor, por que me negaste?
Não sei descrever ti
Meu amor está calmamente lento
Minha vida um tanto chata
Os dias finalmente estão escuros

Desejo-lhe sucesso, talvez sem mim
Desejo-lhe amor, junto a mim
Quero abraçar ti, serena.
Com corpo que as maiores deusa
Se negaste a acreditar.
Os dias finalmente estão escuros

Vozes ao redor, clima estranho
Só a magnitude do mundo,
Nada mais
Quero ser seu poeta favorito
Enquanto escrevo versos lento
Sobre um amor
Que jamais posso ter

Luz Clara

Luz clara, quarto escuro
Batimentos rápidos,
Fiquei ébrio aos 16 anos
Futuro sem medida
É irrefutável que penso em como escrever
Meu quarto escuro,
A luz clara.
Os versos se endógenas
Aqui na luz.

Quero permear a existência
Com gotas tênues,
De amores com constrangimento
Ainda não esperado
De um referente amor
Que me iludo em ter.

Distópico essa vontade
De querer ser despótico.

A Poesia

Escrevo no momento em que choro
Minhas lágrimas
Mostram o quanto te amo,
Sentado em uma calçada
Olhando parades
Sinto me vazio.

Tu beijou outro
Nunca amei ninguém assim,
Quero morrer agora.
Neste momento inóspito
O maldita vida,
Que deixa beijos a mercê.

Boa Sorte


Sorte dedicamos aos deuses
Que por tempos, sempre lutaram em nomes de pessoas com fábula
Desta mesma linhagem
O céu, está facultativo
Talvez o pai, seja fagueiro

No fim, somos estéril de fé.
E a fé, é estéril de homens
Hoje ficareis estável
Nessa estância, o mundo gera a moda da fé
Enquanto a fé estima um deus.

Do Niilismo Nascerá Nossas Flores


Caminho esses versos a almas intensamente solitárias.
Fui atribuído a escrever versos tristes,
No entanto o sigilo da vida se esconde na flor.
As flores por suas vezes sempre belas,
Não se vê rosas triste, uma vez que elas se jogam em túmulos.

O fato inicial é que flores não choram,
É crítico dizer que humanos choram.
Fique estável, espere por mim, até a próxima primavera.
Te prometo não trazer flores mortas.

Quarto Em Branco


Um quarto branco,
Uma poesia um tanto solitária
Eu sei que consigo escrever melhor
Meus dias como poetas estão começando
Mal dias sempre aparecem
Alegrias nunca chegam
Poesias nunca chegam
O amor sempre me deixa.

Olha só,
Quero ter você para mim
No momento em que escrevo
Sei que um dia, tu leras
E saberá que te amei, como poetas devem amar
Da maneira mais solitária possível,
Como um simples quarto branco



Tanta Coisa Escrita


A noite está um tanto medonha, meus sonhos estão cada vez mais distante o mundo me parece distante, gostaria de viver o máximo, mas, tenho medo disso tudo, por que existo? Meu vazio existencial me machuca ao ponto que meu amor decorre nas minhas veias, volto ao termo e sempre volto a questão, por que eu existo? Eu cansei de viver, tudo isso anda bem tenso, queria ser alguém importante mais meus objetivos estão distantes, talvez eu seja bom em escrever meus versos melancólicos, a dor nega tudo, meus versos elavam tudo, amo existir, amo escrever, talvez algo em mim esteja morto.
Não sei por que escrevo também, isso me parece estranho, com um som ambiente tudo fica melhor, a escrita? Talvez mas me parece que isso volta as bagagem de uma vida que ainda não tive, meu olhar esta calmo ao tempo que penso letras para colocar em prosas que jamais pensei em escrever, isso é mais difícil do que parece, escrever é ótimo mas também é tenso, meu coração está para poesia, assim como rap está para os pretos.
Olhas só meus comentários aleatórios sobre coisas aleatórias, estou com essa questão porque escrevo? Nasci para isso? Realmente não sei, bom gosto de escrever isso deixa as coisas belas, no meu cérebro pelo menos deixa.
A maldita escrita que sempre aparece no meio de tudo, não sei por que ando fazendo isso, estou distante de escrever algo profundo, ou não sei direito ainda, quero escrever! Só não sei o que, e não imagino nada para chorar nesses versos lentos.

Uma Poesia Um Tanto Histérica

Os versos estão belos
Minha moral está alta
Tudo está calmo
O olhar está frio
O poeta, está morto
O amor está vivo
A vida está morta.

Escrever ainda é bom
Um tempo atrás,
Essas poesias não imaginariam
Estar tão no topo
Veja onde chegou esse movimento
Talvez a poesia está cansada de ser cuspida
Por meras bocas que mal sabem
Sentir a lírica pesada de um poeta
Quase morto
De versos vivos.

Alguma Coisa


Um quarto branco, poesias na mente e um coração vazio, sempre penso em como posso mudar minha vida. Talvez algum dia eu consiga isso, eu realmente quero conseguir mudar, de certo modo me parece distante esse objetivo, não consigo imaginar essas coisas tão perto assim, está de noite, escrevo isso pensando em como posso mudar essa vida.
Estou calmo em saber que alguém no mundo pensa em mim, bom ninguém pensa em mim, mas, pensar que alguém pensa em você é ótimo, o que faz alguém pensar em alguém? Será que é o amor? Ou o ódio? Bom essa também é uma resposta que não tenho, vamos buscar questões que talvez eu saiba responder, evidente que é uma missão difícil, quais questões eu realmente sei responder? Refletindo penso que não sei responder nada, que frustrante, mas bem, a tentativa já é alguma coisa.
Meu presente está em volta de questões que eu não faço ideia de como responder, é uma sensação estranha não ser capaz de responder nada, por que existe questões? Provavelmente para ser respondidas, mas, isso seria muito raso para uma questão, por que buscamos respostas? Para saciar essa vontade de querer provar que algo tem sentido, outra questão se levanta, por que as coisas tem que ter algum sentido? Isso me incomoda um tanto, porra essas paranoias estão cada vez mais profundas!
Vamos focar em alguma coisa, não deve ser impossível levantar uma questão e responde-la, vamos tentar isso com calma.... um poeta escreve versos felizes porque é feliz, mas, por que o poeta é feliz? Talvez a vida dele é bela, poetas tem vidas belas? Bom, acho que não.... malditos escritores de emoções mortas. Quero ver se sou capaz de responder questões profundas, posso parecer burro, mas olha, sou um grande escritor desconhecido, um pouco ruim, mas não inseguro, não gosto de pessoas inseguras, elas me frustram, por que eu me frustro?  Essa é uma ótima questão para ser respondida, ela saiu do meu cérebro, veja, não sou tão burro assim. Só brinco de ser o que não sou.
Penso aqui comigo, por que estou acordado pensando em como responder questões irrespondíveis? Meu sono não vem, penso em uma coisa, essa maldita me deu esperanças, mulheres são demais, porém, elas sabem como te machucar, é curioso como esse texto começou a falar de mulher, Sabe isso é tipo um desabafo!